Ansiedades de uma nora brasileira prestes a ir para Índia

Sahara One: Firangi Bahu


Quanto tempo, não é? Nossa acho que ando muito relapsa, pois os últimos posts estão sempre começando assim.

Vim aqui hoje dar dicas, conselhos e desabafar, não necessariamente nessa ordem e dividido em tópicos (porque eu sou organizada u.u lol), sobre algo que anda me tirando o sono: minha primeira viagem para Índia.

Geeeente finalmente comprei minha passagem e as coisas estão aos poucos se ajeitando, em Dezembro (Se Deus quiser! \o/) embarco para a terra do Janu. Ainda estou tendo um piripaque com os preços das passagens! Não é mole não, seis mil reais é o preço médio que a maioria das companhias anda cobrando, pior ainda se você não for de São Paulo ou Rio (meu caso) o preço duplica.

1ª dica: Para quem está se programando para visitar o indiano eu recomendo a Ethiopian Airlines, achei passagem saindo de São Paulo para Mumbai por R$ 3.900,00, o que considerando as outras companhias é quase uma pechincha. Ela não é tão conhecida e em vez de fazer conexão na Europa ou Oriente Médio faz na África. O site Melhores Destinos tem algumas reviews sobre essa companhia e eu realmente acho que vale a pena dar uma chance, afinal não estou disposta a pagar os olhos da cara por uma passagem.

Ps: Mesmo super aprovando a idéia de voar pela Ethiopian, meu noivo que comprou a passagem e ele achou melhor comprar pela Emirates , achamos bons preços em dezembro e justamente para a cidade que eu preciso (Ahmedabad, Sim! Eu estarei no Gujarat e não achei voos pela Ethiopian para lá :\). De São Paulo para Ahmedabad, ida e volta, saiu por R$ 4.075,00. Fica a dica para quem está planejando visitar a Índia.

Se alguém também estará viajando nessa época deixe nos comentários! :3


Desabafo: Enfim, ainda falta nove meses para a viagem e eu já comecei a ter crises de ansiedade. Quer saber a verdade? Essa que vós fala tão alegremente sobre várias coisas Indianas não sabe o que esperar da primeira viagem à Índia. Eu leio e me integro bastante sobre a realidade por lá, tenho inúmeros amigos e também sou amiga da família do meu 'noivo'. Sim, entre aspas pois o noivado 'real' (para eles) acontecerá por lá. Além de tudo tenho estado nervosa e insegura; ser o casal pioneiro a quebrar uma tradição de casamentos arranjados + casamentos entre a mesma raça é uma responsabilidade muito grande. 

Não posso culpar meus in-law por perceberem a mulher ocidental como depravada e sem compromisso, infelizmente essa é a imagem que Hollywood passa sobre nós. Essa pressão sobre mostrar realmente que sou uma boa pessoa e que levo a sério meu compromisso dentro de um relacionamento paira sobre a minha cabeça constantemente. Sei que já desabafei aqui sobre a necessidade de se afirmar como uma boa moça simplesmente por ser ocidental, mas isso é algo que realmente me aflige.

Vamos lá, algo que é um tanto perturbador para mim é chamar a sogra de Auntie até o dia do casamento; por lá não tem essa de chamar de sogra antes de casar. Até o dia do bendito casamento você ainda será a "amiga do meu filho" no máximo, depois do noivado, você galgará o posto de prometida. #FikaDik

Creio que o pior da minha situação é ficar hospedada na casa da mãe do meu noivo, eu até disse que ficaria em um hotel porém ele foi veemente em afirmar que:


  1. Ela ficaria extremamente magoada.
  2. Ele não se sentiria seguro e não teria paz se eu ficasse longe.
"Hmm.. Ok!" pensei com os meus botões. Entendamos o que o noivo quis dizer com tudo isso:

 2ª Dica: Se você, mulher branca (principalmente loira) está indo para a Índia conhecer seu Janu tenha em mente que ficar em hotel barato pode causar mais dor de cabeça que simplesmente roubarem suas malas. Isso é conselho de um Indiano viu!

Se você não puder ficar em um hotel mais caro nem tente, estupros podem ocorrer e dependendo da região que você se encontra as pessoas ainda pensarão que por você ser branca foi a convite seu que o sujeito 'escorregou' para dentro do seu quarto. 

É sexista, estúpido e retrógrado; porém é como as coisas são por lá e se você não sabia sobre essas coisas é melhor ir lá no Indi(a)gestão  dar uma olhada nas notícias e repensar seu relacionamento. Acredito que se você namora um Indiano, então, já está a par do que escolheu pra sua vida.

Conselho: Meninas, por favor, não romantizem a Índia! Você não está indo para um castelo no Rajastão e se casando com um Marajá não. Não acho que qualquer país possa ser relatado em íntegra por filmes (visão romantizada e utópica) ou documentários (visão real, porém generalista), Índia não é Bollywood e também não é esses documentários que passam no Geographic Chanel. A questão da pobreza é o mesmo que tentar generalizar o Brasil inteiro como pobre e cheio de miséria focando no Sertão Nordestino. Simplesmente não se encaixa em todas as regiões. Portanto quando viajar para a Índia se prepare para tudo, para encarar a realidade e aceitar o que esse país tem de bom e ruim. Não vale reclamar que você não pode usar seu mini vestido por lá, afinal você já deveria saber como são as coisas no país do Raj.

A problemática do estupro é real, talvez não de forma tão exagerada quanto alguns apontam, mas continua sendo um dos crimes mais cometidos no país. Ao escolher um hotel tenha a certeza de que existe seguranças no hall de entrada e que ninguém, sem comprovar que é hóspede, consiga ter acesso a área interna. Sites de aluguel de quartos também são perigosos e ao menos que você conheça alguém que já se hospedou com esse anfitrião, não vá confiando cegamente.
Já não me lembro onde eu li, mas uma moça havia alugado um quarto pelo Air Bnb , na descrição ela ficaria em um quarto privado com acesso a banheiro privativo e uma cama só para ela, entretanto acabou dividindo um colchão no chão com um Indiano tarado e mal encarado. Portanto cuidado ao escolher o hotel. O ideal mesmo é ficar com a família do seu namorado, mesmo que isso possa dar nos nervos de algumas (como a ilustríssima aqui rsrs).

E a questão de desapontar a mãe do moço pode ser bem real, se ela já sabe que o filho gosta de você e/ou conversa contigo ela tem todo o direito de ficar chateada se por acaso você preferir um hotel em vez do conforto do lar dela. Lembre-se que ela pode achar, e com toda razão, que você é metida e esnobe. Então vamos lá, dormir na casa da sogrinha, esquecer o papel higiênico e lembrar a boa educação em questão de tolerância, principalmente se ela for religiosa. 

Isso aí, não vale reclamar da benção de entrada quando ela te purificar ou oferecer docinho consagrado a Ganesha. Pronto, avisei!

Além de manter tudo isso em mente ainda precisamos nos preocupar em levar roupas que não causem muito espanto, sapatos adequados e confortáveis, muita compreensão, amor e tolerância. 

Espero voltar de lá mais calma e poder transmitir a todas vocês que nem toda sogra indiana é cobra e mudar um pouco a visão temível sobre se integrar em uma família Indiana. Mas até lá ainda temos nove meses e muitas crises de ansiedade, portanto prometo que voltarei e falarei mais, muito mais.

Obrigada a todas as leitoras que me suportam e estão comigo nessa jornada. Um beijo a todas vocês e permaneçam firme no amor.

Abraços & Beijos,

Leticya.




Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Leticya estou achando lindo como vc tem se preparado para essa nova jornada! Vai dar tudo certo! Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Bella!
      Estou torcendo para que dê realmente certo, manterei o blog atualizado sobre esse tópico sempre que surgir novidade.

      Beijos & Abraços,
      Leticya.

      Excluir


Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©